Seminário do CEBID aborda novo tema no direito

11 de Maio de 2018

Bruno, coordenador do seminário, ressaltou a importância do tema por se tratar de uma abordagem nova na área do biodireito e bioética.

Bruno, coordenador do seminário, ressaltou a importância do tema por se tratar de uma abordagem nova na área do biodireito e bioética. Foto (Cássia Maia/ Dom Total)

“Um tema do futuro”, resume o professor do mestrado em Direito Ambiental da Dom Helder Escola de Direito, Bruno Torquato, sobre “Biomateriais e Nanotecnologia”, foco do seminário do Centro de Estudos em Biodireito (CEBID), realizado na tarde desta quarta-feira (9) na Instituição.

O encontro reuniu professores e estudantes em um amplo debate sobre o tema com o pesquisador e doutor em Engenharia Metalúrgica, Materiais e de Minas, Tadeu Henrique de Lima, e a pesquisadora do CEBID e doutora em Direito, Maria de Fátima Freire de Sá.

Bruno, coordenador do seminário, ressaltou a importância do tema por se tratar de uma abordagem nova na área do biodireito e bioética como, por exemplo, imunizar uma cidade inteira apenas por nanopartículas, que através delas podem se fazer até mesmo armas químicas; a fabricação de organelas, partes do corpo, sejam elas sintéticas ou orgânicas; os biomateriais, que têm como uma de suas características proporcionar uma degradação mais rápida em relação ao meio ambiente, o que daria um bom alento para a política de resíduos sólidos brasileiros; entre outros.

“Não tem no Direito nenhum trabalho de análise de biomateriais ou mesmo de nanotecnologia. Com isso, trouxemos o Tadeu, mestre e doutor em Biomateriais, para falar sobre o andamento das pesquisas nestas áreas e a professora Maria de Fátima, renomada na área do biodireito e bioética, para discutir os problemas jurídicos e éticos através do tema”, enfatizou.

Confira a entrevista do Tadeu para o CEBID que norteou a discussão nesta quarta-feira na Dom Helder Câmara!

Para a pesquisadora Maria de Fátima, “há situações que são muito novas para nós do Direito e trabalhar com professores ou pessoas ligadas única e exclusivamente ao Direito não vai trazer um debate que seja frutífero”.

“O nosso papel é trazer novas opções para os alunos, para formulações de novas dissertações de mestrados, de novas teses de doutorado e abordar o assunto de forma responsável”, concluiu.

Apesar dos inúmeros benefícios, o engenheiro Tadeu salientou a preocupação com a grande quantidade de nanopartículas sintéticas que é despejada na natureza todos os dias e não se sabe qual vai ser o efeito disso a longo prazo.

“Quando falamos da nanotecnologia, estamos falando também dos materiais nanoestruturados. Esses materiais de certa forma foram dispersos no meio ambiente e a sociedade ainda não sabe quais são os efeitos desses materiais para os organismos”, afirmou Tadeu.

CEBID

Criado em 2009 por mestres e doutores que pensam transdisciplinarmente os temas da Bioética e do Biodireito, o CEBID tem se dedicado, ao longo desses anos, as diversas linhas de pesquisa como “Biotecnologia e autonomia privada”, “Bancos de dados genéticos humanos”, “Bioética Ambiental e Direito”, “Incapacidade jurídica e saúde mental”, “Manipulação genética” e “Patentes biotecnológicas, Bioética e meio ambiente”.

 

Extraído de: Dom Total.


CEBID – Centro de Estudos em Biodireito

Samuel Júnior

Assuntos

Mais lidas

Mais conteúdo

Eventos

Receba novidades por email