Morte de menina gera lei na Argentina que torna todos os cidadãos doadores

26 de julho de 2018

Lei Justina foi aprovada por unanimidade no Congresso argentino. Campanha foi lançada após pais perderem filha que esperava por coração compatível.

Justina deixou uma marca quando passou pela Terra. Quando tinha um ano e meio, foi diagnosticada com miocardiopatia dilatada, doença cardíaca que pode ser fatal.

Depois do diagnóstico, medicamentos conseguiram estabilizar o funcionamento do coração de Justina, e ela foi crescendo e levando uma vida praticamente normal. Mas, no ano passado, o estado do coração piorou e só um transplante a salvaria.

Na fila de espera por um coração compatível. Justina acabou morrendo aos 12 anos de idade. Mas, ainda viva, quando soube que estava na lista de espera na fila dos transplantes na Argentina, ela fez um pedido: “Papai, ajudemos todos que nós pudermos”.

Os pais, Paola e Ezequiel, lançaram então uma campanha, que cresceu e conseguiu aumentar o número de doadores, e eles apresentaram sugestões de mudanças na Lei de Doação de Órgãos. A principal delas: todo cidadão argentino passa a ser doador, a menos que manifeste o desejo de não doar.

As sugestões viraram projeto de lei, e a chamada Lei Justina foi aprovada por unanimidade no Congresso argentino. Veja na reportagem do Fantástico.

 

Extraído de: Fantástico – G1.


CEBID – Centro de Estudos em Biodireito

Samuel Júnior

Assuntos

Mais lidas

Mais conteúdo

Eventos

Receba novidades por email